WDR 2017

Objetivo

O WDR busca complementar formação acadêmica de alunos através de palestras realizadas por profissionais da área, que debatem sobre, a utilização, os problemas e as tendências do mercado de explosivos e perfuração. Permite que os palestrantes compartilhem seus conhecimentos e experiências profissionais, proporcionando discussões pertinentes e apresentando tecnologias fundamentais para o ramo de desmonte.

Me

Público-alvo

O WDR tem como público alvo profissionais, professores, estudantes (técnico, graduação e pós-graduação) de diversas áreas de engenharia, como a mineração e construção civil, buscando conhecimento nos temas que envolvem perfuração, desmonte de rocha e detonação em obras civis.

Sobre Catalão

CCatalão é um município brasileiro do estado de Goiás. Sua população estimada pelo IBGE para 2016 é de 100 590 habitantes e seu PIB é de R$ 5,71 bilhões, o que o torna a quinta maior economia municipal de Goiás naquele ano.

Hospedagem

Para o conforto do participante, o WDR possui parceria com hotel IBIS, contando com 88 quartos para melhor comodidade do cliente.Está localizado em uma região nobre da cidade, com fácil acesso as principais empresas, restaurantes e bares.

UFG- Catalão

Fundada em 1983, em dezembro de 2017 a Regional Catalão completará 34 anos de existência. Atualmente são ofertados 26 cursos de graduação na modalidade presencial e mais dois cursos no modelo educação à distância. Na pós-graduação são dez cursos de mestrado e um doutorado, além de vários cursos de especialização em diferentes áreas do conhecimento.

0
Participantes Esperados
0
Palestrantes Confirmados
0
Número de Patrocinadores
0
Número de Apoiadores
  • Alexandre Antonini


    Engenheiro Civil pela Faculdade de Engenharia Kennedy, Belo Horizonte – MG, Diretor Técnico Comercial da VMA – Engenharia de Explosivos e Vibrações Blaster pela SSP-MG – DEAME, Membro do ISEE – International Society of Explosives Engineers – USA, Membro do EFEE – European Federation of Explosives Engineers – UK, Membro da ABEE – Associação Brasileira de Engenharia de Explosivos, Membro do Comite de Estudos do CB-18 ABNT – Norma 9653/2005 e Auditor Especialista do Inmetro – Cegecre – Laboratórios de Ensaio e Calibração de Instrumentos para Monitoramento de Vibrações.

    São 27 anos de experiencia nas áreas de Desmontes de Rochas por Explosivos e Vibrações nas áreas de Construção Civil Infra e Super Estruturas, Petróleo e Gás, Energia, Mineração e Meio Ambiente.
  • Érico Vladimir


          Formado plea Universidade Federal de Minas Gerais, com 19 anos de experiência em desmonte de rochas com explosivos e controle, trabalhou com instrumentação em desmonte de rochas (laser profile, VOD, sismografia, câmera de alta velocidade, software de simulação) visando controle e melhoria dos resultados dos desmontes e em alguns casos minimização dos impactos gerados no desmonte de rocha. Gerenciou os desmontes de rocha de alguns trechos da ferrovia Transnordestina e os desmontes para implantação da pedreira de agregados e pátio da fábrica de dormentes da ferrovia Transnordestina.
  • Jean Lopes

    37 anos, especialista em desmonte de rochas com 16 anos de experiência em mina subterrânea pela Anglo Gold Ashanti atuando como supervisor de produção em desmonte de lavras dos tipos Corte e Aterro e de Subníveis. Engenheiro de minas pela faculdade Kennedy, Pós-graduado em Gestão de Pessoas pela Universidade Católica PUC-MINAS, Graduado em Administração de Empresas Universidade Castelo Branco, Técnico em Mineração.


  • Ricardo Pontes

         



           Ricardo Pontes é engenheiro de minas pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e pós-graduado em Engenharia de Segurança pela FUNDACENTRO. Com 25 anos de experiência em desmonte de rochas em diversas empresas do segmento, como DU PONT Explosivos, ICI explosivos e ORICA, tendo experiência em gerenciamento de grandes operações com fabricação de Emulsão e ANFO em Carajás.
        
        Trabalhou também como gerente em minas com operações de carga, transporte e britagem, operações de pequeno, médio e grande portes.

    • Membro da ISEE - International Society of Explosives Engineers


         Prestou serviços a empresas de médio e grande porte, nacionais e estrangeiras, que cunham suas práticas de trabalho com rigorosas normas de segurança e ambientais, tais como; ISO 14001, NOSA, ISO 18001. 
  • Manoel Dias




    Mais conhecido como Manezinho da Implosão, o Engenheiro Manoel Jorge Diniz Dias tem graduação em Engenharia de Minas pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (1979). Começou sua carreira no Instituto de Pesquisas Tecnológicas – IPT em 1980 atuando principalmente na Usina Hidrelétrica de Tucuruí como responsável pelo controle de vibrações e detonações controladas. Em seguida, foi convidado a trabalhar na Fábrica de Explosivos Britanite, aonde num período de sete anos (1981-1988) chegou a Gerente Técnico responsável pelas Hidrelétricas e Minerações do Brasil e América do Sul. Neste período, em 1986 atuou diretamente na Usina Hidrelétrica de Itaipu. Nos anos seguintes, se transformou em consultor da Britanite e paralelamente foi iniciando sua trajetória no mundo das implosões junto ao Engenheiro Hugo Takahashi. Ao todo, comandou mais de 80 implosões de prédios e mais de 60 estruturas especiais, como silos, pontes, viadutos, chaminés e reservatórios elevados. No portfólio de implosões, constam prédios que foram emblemáticos para a história da Engenharia brasileira: Edifício Gironda (Santos, 1990), Presídio da Ilha Grande (Rio de Janeiro, 1994), Edifício Palace II (Rio de Janeiro, 1998), Complexo Prisional do Carandiru (São Paulo, 2002 e 2005), Presídio Frei Caneca (Rio de Janeiro, 2006), Edifício da TAM (São Paulo, 2007), Edifício Berrini (São Paulo, 2008) – a menos de 4 metros do edifício vizinho envidraçado, Estádio Fonte Nova (Salvador, 2010), entre outros. 
    Implosão do Carandiru (2002)

  • Vitor Barcelos


    Engenheiro de minas pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), experiencias profissionais na Função Gorceix, Laboratório de Reologia e Petróleo (UFOP), School of Mining (Sydney, Austrália) e COMPEL-Perfuração e Desmonte de Rochas, onde o mesmo é responsável pela área técnica da empresa. Planejamento, execução e acompanhamento de projetos de perfuração e desmonte de rocha tanto para a mineração quanto para a construção civil. Atuando também nos departamentos de Gestão de Custos, Comercial, Apoio ao cliente e Administrativo.
  • FAÇA SUA INSCRIÇÃO AGORA

    O participante deverá se cadastrar neste site preenchendo todos os campos da inscrição, após realizar a inscrição o participante receberá um link dentro do prazo de 24 horas para realização do pagamento.

    ENDEREÇO DO EVENTO

    Av. Dr. Lamartine P. de Avelar, St. Universitario, Catalão - GO

    EMAIL

    depaula.araujo@hotmail.com
    contato@workshopdesmonte.com.br

    TELEFONE

    +55 (64)3441-5300
    +55 (64)3441-5327

    CELULAR

    (64)9 8104-4361
    (62)9 9999–3296